QUEM SOMOS     |     AS 5 LEIS BIOLÓGICAS      |    QUEM É DR. HAMER      |     CURSOS       |     FORMAÇÃO PROFISSIONAL      |      PROFESSORES     |     TEXTOS E LIVROS       |     VÍDEOS
 
   
  Quais são as 5 Leis Biológicas
 

Luis Felipe Espinosa

   
 

   
 

As Cinco Leis Biológicas foram desenvolvidas pelo médico e biológico, Dr. Ryke Geerd Hamer durante os anos oitenta. Tem como princípio demonstrar os princípios biológicos que governam todos os processos envolvidos para desencadear as "enfermidades e doenças" em animais e seres humanos.

Estes princípios são baseados na embriologia e evolução biológica baseada na filogênese, ao mesmo tempo que apontam elementos extremamente precisos para esclarecer o que está acontecendo no organismo acometido.

PRIMEIRA LEI BIOLÓGICA

A primeira lei biológica esclarece a chamada "doença" (ou seja, Programa Especial com Sentido Biológico - SBS). Inicialmente, provém de um "choque" biológico, grave, agudo e dramático, algo como um susto repentino, pego de surpresa. Esse impacto ocorre de forma simultânea em 3 níveis: psique, cérebro e órgão e foi chamado pelo Dr. Hamer de DHS (Dirk Hamer Syndrome), em homenagem ao seu filho falecido.

No instante que ocorre este evento inesperado, essa sensação que foi desencadeada por um conteúdo conflitual percebido, ativa um ou mais programas especiais de sentido biológico (SBS), que afeta tanto o cérebro (Foco de Hamer – FH, cerebral) quanto no órgão (Foco de Hamer – FH, orgânico).



A SEGUNDA LEI BIOLÓGICA

Todo o programa atravessa pelas fases principais: A primeira, fase ativa (FA) com alteração neurovegetativa simpática, a segunda fase, pós-conflitual (PCL), parassimpaticotônica, essa transição ocorre nos casos que houveram uma resolução do conflito (Conflitólise – CL).


DHS – FASE ATIVA (FA) – CONFLITÓLISE (CL) – PÓS-CONFLITUAL 1 (PCLA) – CRISE EPILEPTÓIDE (CE) – PÓS-CONFLITUAL 2 (PCLB) – NORMOTONIA.

A fase ativa inicia após o DHS, e possui uma intensidade e duração (massa conflitual). No nível psíquico-mental, neste momento a pessoa se encontra em um estado de preocupação constante sobre o acontecido (trauma), com pensamentos recorrentes e em geral em estado de alerta. No cérebro, se formam os focos de Hamer (FH), ativos, com anéis concêntricos definidos. Já no corpo, causam alterações fisiológicas e comportamentais teciduais.

Após a resolução do conflito (CL), a pessoa sente uma sensação de alívio, após este momento, se inicia a fase pós-conflitual (PCLA), ou reparação edematosa, com mudanças dos níveis hormonais e metabólicos, que alteram os padrões dos órgãos. Estas alterações estão associadas às modificações nos padrões do sono, levando ao cansaço, debilidade com aumento do processo inflamatório, dor e mal estar geral.

Na transição entre a fase pós-conflitual A e B, a pessoa passa pela crise epileptoide (CE), ou seja, o corpo revive o choque biológico (trauma), com um flashback fisiológico breve, normalmente com o agravamento dos sintomas, edemas, calafrios, alterações da frequência e da pressão cardíaca. Algo característico desta fase é o aumento do volume miccional que caracteriza principalmente a fase de pós-conflitual B (PCLB) ou exudativa (secreções, líquidos) com atenuação gradativa dos sintomas até a homeostase. 

A TERCEIRA LEI BIOLÓGICA



A Terceira Lei Biológica ou Sistema Ontogenético dos programas especiais de Sentido Biológico (SBS), ou seja, a alteração do comportamento fisiológico para cada tecido e de suas funções.

Dependendo da área cerebral que foi ativada o foco de Hamer (FH), observamos no nível orgânico comportamentos distintos. Por exemplo, se o foco estiver no mesencéfalo, é possível observar um aumento das funções e eventualmente uma proliferação celular tecidual na Fase Ativa (FA). Agora, se o FH estiver no córtex cerebral, observa-se uma ulceração e necrose tecidal com redução da sua função durante a FA.

Com a terceira lei biológica, é possível elucidar o comportamento distinto de cada sistema de acordo com a sua origem embrionária e do foco de Hamer. 

A QUARTA LEI BIOLÓGICA

Chamada de Sistema Ontogenético dos microorganismos, esta lei descreve o relacionamento entre o nosso corpo com diferentes grupos de microorganismos, e assim, demonstra que normalmente eles não são a causa da doença e sim simbiontes da nossa homeostase. Com isso podemos ver com outras perspectivas em relação às enfermidades, onde a sua atividade é coordenada através do estímulo cerebral e os processos de cura.




A QUINTA DA LEI BIOLÓGICA


A quinta lei biológica ou "Quintessência" exige que cada "doença" faz parte de um programa especial da natureza com um sentido biológico, ou seja, faz parte da evolução da vida.

Todos os nossos programas fisiológicos normais do corpo, bem como programas especiais (SBS), foram integrados através de milhões e milhões de anos de evolução. No fundo não há nada "maligno" ou "benigno", em todos os processos o nosso corpo está apenas sobrevivendo e evoluindo. É um aprendizado programado buscando a nossa capacidade de adaptação à natureza, ou seja, sobrevivência.

Bibliografía:
- Hamer R. G., Resumen de la Nueva Medicina, Amici di Dirk, 2005
- Pfister M., Manuale di applicazione delle Cinque Leggi Biologiche, Secondo Natura Editore, 2014
- Münnich D., Das System der 5 Biologischen Naturgesetze, 3 ed. 2012.